Modelo de negócios Canvas: Parcerias e Estrutura de Custos | Blog GPlus

Modelo de negócios Canvas: Parcerias e Estrutura de Custos

Modelo de negócios Canvas: Parcerias e Estrutura de Custos | Blog GPlus como montar um canvas

Chegamos ao último conteúdo da série “como montar um modelo de negócios Canvas”. Neste texto abordaremos dois aspectos importantes para a sua empresa: parcerias e estrutura de custos, além de uma dica rápida ao final desse post. 

Você se pergunta “como abrir meu negócio”? Então, leia nossos textos anteriores:

Formar parcerias é importante em um modelo de negócios? 

Para montar um bom modelo de negócios eficiente, é necessário levar em consideração a demanda de acelerar os processos e reduzir os riscos associados às negociações. Uma organização visa criar parcerias com os principais fornecedores, para garantir alta qualidade para o produto ou para a prestação de serviço. Assim, as alianças formadas buscam valorizar a empresa, e podem ser categorizadas como:

  • Alianças com concorrentes

Segundo Harbison e Pekar (1999), no livro “Alianças Estratégicas: Quando a parceria é a alma do negócio e o caminho para o sucesso”, alianças estratégicas são, tipicamente, junções entre iguais, que unem as capacidades centrais de cada parceiro para aumentar o valor ao cliente. Uma aliança estratégica funciona melhor quando a aquisição direta não é viável, quando se deseja uma abordagem evolucionária ou quando cada parceiro reconhece sua necessidade de dispor de capacidades essenciais que não pode desenvolver sem ajuda. Um caso interessante foi a parceria entre Volkswagen e Ford entre os anos 80 e 90, que rendeu carros nostálgicos como Del Rey, Volkswagen Apollo, criado com base no Ford Verona.

  • Joint Venture

Joint venture é quando duas empresas se fundem visando o lucro ou a manutenção de fatia do mercado. Elas podem dar início a uma nova companhia ou apenas a uma concessão de serviço. Um exemplo foi a criação do Paraná Clube, time de futebol de Curitiba, que se deu entre a fusão do Colorado Esporte Clube e do Esporte Clube Pinheiros, em 1989. Esta mesma situação aconteceu com outros clubes ao redor do mundo: o Paris Saint-German (PSG), que é resultado da fusão entre o Paris FC e o Stade Sangermanois, em 1970.  

No campo corporativo, um dos grandes exemplos de joint venture é a fusão das gigantes de telefonia Siemens e Nokia, em 2006, motivadas pela união de concorrentes. O resultado foi a Nokia Siemens Networks, que chegou a ser estimada como a quarta maior receita do ramo de telecomunicações.

  • Relacionamento entre compradores e fornecedores

O seu modelo de negócios deve contemplar o relacionamento entre comprador e fornecedor, parte essencial para o objetivo de fidelizar seus clientes e fortalecer suas parcerias. O comprador – que nesse caso será a sua empresa – consegue um “preço especial” do fornecedor, enquanto o fornecedor consegue vender um número estimado de produtos de uma vez só.

Estruturas de custos

Esse processo vai definir o custo de administrar a empresa com base no modelo de negócios Canvas. A estrutura de características comuns de custos é a seguinte:

  • Custos fixos: permanecem os mesmos por um período de tempo.
  • Custos variáveis: variam de acordo com a estimativa de produção.
  • Economia de escala: é intercalada com base no aumento da produção.
  • Economia de escopo: se baseia na redução, por consequência do investimento no produto principal.

Analisar estes pontos é o primeiro passo para um empreendedor. É necessário uma compreensão realista dos custos do negócio, sendo uma das características fundamentais para um bom modelo de negócios. Depois de identificar, é necessário listá-los e embasar seu planejamento com base nos custos definidos. 

Dica rápida: como montar preço de venda?

Um modelo de negócios envolve um bom conhecimento para precificar seu produto, considerando relevante os itens abaixo:

  • Custo: varia de acordo com a produção. Em uma fábrica soma-se os valores das matérias-primas e insumos.
  • Gastos variáveis: comissões, impostos e embalagens.
  • Gastos fixos: tudo o que envolve despesas administrativas, como gastos ocupacionais, água, luz e aluguel. 
  • Percentual de lucro: estimação da lucratividade desejada pela empresa.

Por fim, cabe ao empresário comparar o preço de venda de seu produto com o do mercado, avaliando se está de acordo. Caso o valor do seu produto esteja abaixo, pode-se realizar um aumento compatível com os concorrentes. Mas lembre-se, sempre leve em conta questões como qualidade, posicionamento e engajamento de marca na hora de definir o preço de venda do seu produto. 

Garanta agora 1 hora de consultoria empresarial online grátis

Quer conhecer mais do nosso trabalho e saber mais sobre gestão de negócios? Entre em contato com a GPlus, acompanhe o nosso blog e a nossa página no Facebook. Acompanhe a GPlus no YouTube para informações preciosas para o seu negócio.

Facebook Comentários

Post Relacionados

Leave a comment

Decole com o seu negócio
 Solicite agora uma hora de CONSULTORIA GRÁTIS

*Suas informações jamais serão compartilhadas.
close-link